Ouvidoria

Quero Consulta Unimed: Aplicativo facilita...

Campanha Atitude na Veia aumenta em 23% doações...

Lives: entretenimento e qualidade de vida para a...

Carnaval: cuidados garantem a alegria durante o ano todo

08 de fevereiro de 2013

Uma marca dos carnavais no Brasil é a marchinha. “Bota a camisinha. Bota, meu amor…” é trecho de uma das mais famosas e serve de alerta especial. Afinal, a animação – outra marca registrada da festa e que só se esgota na quarta-feira de cinzas – deve ter ao lado a responsabilidade e prevenção para saúde. Um dos riscos dos excessos registrados no período é a contaminação por doenças sexualmente transmissíveis, além da gravidez indesejada. “Sempre é perigoso quando o sexo é praticado sem proteção”, destaca a sexóloga e ginecologista cooperada da Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo (Unimed VTRP), Renata Jucá, de Santa Cruz do Sul. Pessoas com o vírus da AIDS podem não se apresentar com a doença, parecem saudáveis e isto aponta para a possibilidade  de contaminação numa relação aparentemente sem risco. Ter certeza que a camisinha precisa ser usada sempre é fundamental e isso muitas vezes é esquecido na hora da folia.

Conforme lembra a médica, na prática, a relação sexual está muito além da penetração. Nas preliminares, as chances de contaminação na masturbação a dois são reduzidas. A transmissão do vírus ocorre a partir de uma quantidade razoável de sangue ou secreção, especialmente o sêmen do homem. Partes do corpo cobertas por tecidos mais sensíveis (mucosas) são uma espécie de porta de entrada para o vírus.
O sexo oral merece atenção redobrada, pois cáries, aftas e gengivites podem facilitar a contaminação. Pode ser ainda mais arriscado o sexo anal. “O ânus possui muitos vasos sanguíneos e mucosa mais facilmente lesionada e com isso, os vírus penetram facilmente e fazem a contaminação ”, explica a médica.

CAMISINHA – O Carnaval não pode ser desculpa para descuidos. Principalmente quando o resultado pode afetar sua saúde. A maior causa do rompimento de preservativos é justamente a sua colocação de forma descuidada. Mas o que fazer quando isso ocorre? “O primeiro passo é interromper a relação e lavar os genitais com água corrente e sabão. Só então ela pode ser recomeçada, mas com outro preservativo”, orienta a doutora.

Alimentação saudável

Outra marchinha famosa diz assim: “Você pensa que cachaça é água? Cachaça não é água não!”. Visualmente, os líquidos podem até ser parecidos. Mas seus efeitos são bem diferentes, inclusive para quem quer aproveitar o Carnaval. Os foliões que realmente levam a festa a sério gastam bastante energia durante a celebração. Mas muita gente adota atitudes equivocadas, que inclusive podem comprometer a própria saúde. Uma das mais comuns é não se alimentar corretamente neste período de festejos que exigem respaldo da parte física. “É muito importante não estar em jejum, pois a energia que o corpo irá utilizar provém dos carboidratos, portanto, realize refeições equilibradas nutricionalmente e não esqueça de manter-se hidratado”, esclarece a nutricionista do Espaço Vida de Santa Cruz do Sul, Ana Paula Kroth.

A educadora física do Espaço Vida, Tatiane Moraes Zinn, também recomenda atenção. “A ausência do alimento poderá provocar fraqueza e indisposição, prejudicando assim o desempenho do indivíduo e suas funções orgânicas”, justifica. Ainda ressalta que, no carnaval a empolgação toma conta e a maioria das pessoas acaba exagerando no esforço físico e, no dia seguinte, as dores aparecem. Antes de cair na folia faça alguns exercícios de alongamento para evitar distensões e outras complicações mais graves.
O recomendado é que o indivíduo ingira ao menos 2 litros de água durante o dia, pode-se incluir também sucos naturais e/ou água de coco. A opção deve ser por pratos leves: frutas, verduras, arroz e carnes, dando prioridade para as brancas como peixe e peito de frango.

Quanto ao consumo de álcool. O bom senso das pessoas deve prevalecer para que saibam a hora de parar e evitar situações inconvenientes, geradas pelo excesso. O consumo de bebidas alcoólicas deve ser o menor possível, sempre com o pensamento de não ser necessário beber para estar alegre ou feliz. Entretanto, para aqueles que acabarem exagerando, o combate à ressaca deve contar com ingestão de muito líquido (água e sucos naturais), alimentos doces e descanso.

ROUPA – Outro aspecto importante é escolher os trajes adequados para brincar. A recomendação é usar roupas leves e claras, além de calçados baixos e confortáveis (tênis). Porém, talvez o mais importante seja lembrar que o mundo não acaba depois do Carnaval. Por isso, a dica é: sambe e brinque bastante, mas evite exageros. Ano que vem, tem tudo de novo.

 
Programa Adolescer
 

A desinformação é um obstáculo no desafio de conscientizar. Apesar de vivermos em tempos de Internet e disseminação rápida de informações, uma preocupação especial está voltada aos mais jovens. A Unimed VTRP lançou em 2007 o programa Adolescer. Professores, pais e adolescentes participam de cursos que debatem a educação sexual para dentro das escolas. A pauta de discussões inclui preservação às doenças sexualmente transmissíveis, gravidez indesejada, anatomia, sexualidade, maturidade e responsabilidade.
Mais informações: (51) 3714-7135
 

Dicas para Carnaval com saúde

– Ingerir bastante líquido (prefira sempre água e sucos naturais)
– Alimente-se com pratos leves (frutas, verduras, arroz e carnes brancas)
– Evite os excessos alcoólicos
– Use roupas e calçados confortáveis

Categoria: Unimed VTRP