Ouvidoria   

Unimed VTRP conquista nota máxima no IDSS pelo...

Campanha Atitude na Veia aumenta em 23% doações...

Lives: entretenimento e qualidade de vida para a...

Unimed VTRP adota recrutamento de colaboradores às cegas

Veja como funciona o novo formato de seleção que já está sendo realizado pela Unimed VTRP

26 de abril de 2022

Proporcionar um ambiente de trabalho que estimule a diversidade é um cuidado constante na Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo (Unimed VTRP) e faz parte das práticas de gestão de pessoas da Cooperativa. Para tornar esse ambiente ainda mais plural, a partir de agora, a Unimed VTRP fará recrutamento às cegas.

A pauta foi discutida pelo Grupo da Diversidade da Cooperativa. A colocação em prática reforça a importância e valorização das pautas inclusivas dentro da Unimed VTRP.

E como funciona? Neste tipo de processo seletivo, a área de Desenvolvimento Humano fica como guardiã dos dados e informações dos candidatos. A área recebe os currículos, realiza a primeira filtragem e posterior encaminha aos Gerentes. Neste primeiro momento as gerências não tem acesso às informações detalhadas do candidato, como cor da pele, gênero, idade, endereço, escolaridade e instituição de ensino que estudou.

Durante a primeira etapa, os dados pessoais dos candidatos são omitidos e o foco é o que realmente importa: suas habilidades e competências. Com essas informações, o recrutador e o gestor fazem o primeiro filtro. O contato pessoal acontece somente na segunda fase.

Vamos entender, na prática, como isso funciona dentro da Unimed VTRP e como você pode se candidatar a uma vaga.

O cadastro

O local e formato para inscrição às oportunidades segue sendo o mesmo. Você acessa a Página Trabalhe Conosco, onde estão disponíveis todas as informações sobre as vagas abertas. Ali, é necessário fazer um cadastro incluindo seus dados pessoais, como nome, e-mail, CPF, sexo, data de nascimento. A partir disto, é necessário aguardar o contato da área de Desenvolvimento Humano, que cruza suas competências com as exigências do cargo em questão.

Nesta primeira etapa a área de Desenvolvimento Humano permanece com acesso às informações na sua totalidade. Na segunda etapa, onde os currículos são repassados aos gerentes, é que acontece a seleção a cegas. As informações pessoais são omitidas e são selecionados os candidatos finais que serão chamados para a etapa coletiva e entrevista individual.

Abaixo você pode conferir o relato das Gerente de Desenvolvimento Humano e Atendimento:

“A seleção às cegas foi incorporada ao processo de recrutamento e seleção de forma natural. Ela é resultado de mais uma das ações e práticas voltadas à transformação cultural da Cooperativa, que vem trabalhando e estimulando a cultura de inovação nos últimos anos. E inovação só acontece quando, de fato, temos ambientes plurais, com diversidade de pessoas, experiências e pensamentos”, destaca a gerente de Desenvolvimento Humano da Cooperativa, Eliane Frohlich.

“Sabemos que o ser humano, de forma inconsciente ou não, possui tendências a escolher e selecionar pessoas mais próximas do seu modo de pensar, sentir e agir. E quando uma organização faz isso, fica limitada a um padrão de pensamento não inovador. Com a seleção às cegas, ampliamos os horizontes e fortalecemos nossa Política de Seleção por Competências, com foco no que realmente é relevante, ou seja, nas habilidades necessárias para o cargo”, complementa.

A primeira gestora a realizar a seleção neste formato foi Laura Fauri, Gerente de Atendimento.

“Participar de um recrutamento às cegas, foi ‘um tanto diferente’. No primeiro momento achei um pouco estranho, confesso que deu um friozinho na barriga. Mas depois pensei: vamos lá, novo desafio, uma forma de olhar o processo diferente, afinal, é normal quando você seleciona, olhar os dados pessoais do candidato e participando desta nova modalidade de recrutamento, analisamos somente as experiências anteriores dos candidatos na primeira etapa, sem expor nome, gênero, idade, localização, instituição de ensino. Gostei desta nova experiência pois avaliamos com base em informações que realmente importam para o cargo, e não por preferências inconscientes que em alguns momentos podemos ter. Então, aceitei o convite e conduzimos ele com sucesso…”, comenta Laura.

Programa de Diversidade

A Unimed segue evoluindo e construindo ações que incluem e cooperam. O programa de Diversidade é uma prova disso, ele existe para promover a diversidade aos diferentes públicos pertencente na Cooperativa, buscando a inclusão de pessoas em sua multiplicidade. Para isso, são realizadas ações que agregam e potencializam o trabalho, sendo elas:

  • Promover a diversidade através da inclusão das pessoas na sua multiplicidade, com respeito às diferenças.
  • Valorizar e garantir oportunidades, tratamento igual para todos, independentemente de raça, orientação sexual, gênero, deficiência e cultura, de acordo com a legislação e políticas de direitos humanos.
  • Elevar o grau de inovação, a partir de ações que valorizem a diversidade nas suas diferentes formas. Empresas que investem em diversidade tendem a ser mais inovadoras.

A ideia do programa é de que a Diversidade esteja presente no dia a dia dos colaboradores, através dos quatro pilares: Diversidade de Raça e etnias; Diversidade de gerações; Diversidade sexual e de gênero e Diversidade de Pessoas com Deficiência (PCDs).

A participação comunitária está ativa está no DNA da Unimed VTRP. Nos últimos anos, a busca por um ambiente de trabalho que respeite cada vez mais a diversidade, e o estímulo a ações que tornem a sociedade cada vez mais igualitária seguem fazendo parte das práticas sustentáveis da Cooperativa.