Ouvidoria

5 receitas de lanches rápidos e fáceis para... Alimentação Saudável, Coronavírus, Filhos e Gestação, Saúde do Homem e da Mulher

Preparamos dicas de séries, músicas e podcast Coronavírus, Saúde Emocional

Cuidados com a pele das crianças no sol e no... Atividade Física, Filhos e Gestação

Brincar é coisa séria

20 de agosto de 2013

Brincar Blog Unimed VTRP Quando brinca, a criança simula a participação em inúmeras situações que vai vivenciar rotineiramente ao longo de toda a sua vida. Mais importante do que saber exatamente que tipo de brincadeira fazer com as crianças em cada fase de desenvolvimento, é termos a sensibilidade, a intenção e a dedicação necessárias para perceber quando somos convocados a brincar. É possível transformar qualquer atividade em brincadeira e momentos educativos – desde a troca de fraldas, o banho, a troca de roupas e as refeições. Veja alguns exemplos de brincadeiras conforme a faixa etária, sempre lembrando de proteger contra acidentes e de não oferecer objetos e alimentos pequenos pelo risco de engasgos e aspiração, esconder medicações e produtos tóxicos do alcance das crianças. Brincar Blog Unimed VTRP 2 Brincar Blog Unimed VTRP 3 0 a 3 meses Nesta fase, converse e cante para o nenê, emita sons diversos para que ele se interesse – imite o barulho de um carro, por exemplo. Até os 3 meses de vida nossa visão está em processo de aperfeiçoamento, mas já faça caretas, balance objetos coloridos dentro do seu campo de visão, ofereça objetos para que ele tente alcançá-los, olhe nos seus olhos e admire seu sorriso. Com o bebê no colo, dance de forma tranquila. Além de acalmar, a dança proporciona à criança uma maior vinculação com o pai e a mãe. 3 a 6 meses Deite o bebê de barriga para baixo (somente quando estiver acordado) e o incentive a começar a rolar. Faça isso mostrando um brinquedo e em seguida o escondendo para que o bebê procure. As brincadeiras de esconde-esconde são apropriadas pois a criança já é capaz de reconhecer quando algum objeto sai de seu campo de visão, estimulando além da tomada de iniciativa o conhecimento dos objetos, como nas perguntas de onde está determinado objeto ou parte do corpo. Estimule o bebê a bater palmas, conte o que se está fazendo, brinque com ele na frente do espelho, brinque de “pula-pula” o segurando pelas axilas. 6 a 9 meses Ensine o bebê a bater um brinquedo no outro segurando um em cada mão, a encaixar potinhos, a colocar tampa em potinhos, a sentar. Incentive-o a engatinhar, a beijar e a deixar que lhe beijem, faça-o alcançar um brinquedo e oferecê-lo a alguém. Ofereça objetos de várias texturas para ele conhecer, chame-o pelo nome. Nesta etapa, a criança inicia um processo de maior autonomia. Brincadeiras de explorar o ambiente, interação com outras crianças já devem ser estimuladas nesse momento. 9 meses a 1 ano Deixe o bebê engatinhar e entrar embaixo da mesa para conhecer espaços. Ensine os movimentos “tchau”, “sim”, “não” e “vem”, pergunte “onde está a mamãe?”. Deixe-o andar apoiado nos móveis, dê carrinho para empurrar, peça que o ajude a se despir na hora da troca, ajude-o a andar segurando ele pela mão, mostre figuras para que ele aponte o que é. 1 a 2 anos Brinque de construir torres, mostre figuras para que identifique, brinque de “cavalinho”, imite sons de animais, mostre álbuns de fotos, estimule a chutar bola, faça brincadeiras com marionetes. A partir de um ano, opte por brincadeiras que incentivem o vocabulário e a exploração da linguagem verbal. Rasgue papel, rabisque, brinque com tintas, sempre com supervisão de adultos. Brincadeiras que estimulem a motricidade fina e a aquisição de hábitos que farão parte de nossas vidas, com organização dos brinquedos e recolhimento de lixo após as brincadeiras. 2 a 5 anos Período caracterizado pelo aprimoramento das habilidades até então adquiridas, em especial a capacidade de comunicação, locomoção – andar e correr com segurança, subir escadas -, manuseio de objetos e jogos simbólicos. Jogos eletrônicos devem ter seu tempo restrito, mas são importantes para o desenvolvimento da inteligência, inclusive os jogos on-line, nos quais acontece uma interação dos membros jogadores e as crianças acabam vivenciando novas culturas. É muito importante a presença e o monitoramento dos pais nesses casos para tentar identificar possíveis ameaças a seus filhos.  

Categoria: Atividade Física