Ouvidoria

5 receitas de lanches rápidos e fáceis para... Alimentação Saudável, Coronavírus, Filhos e Gestação, Saúde do Homem e da Mulher

Preparamos dicas de séries, músicas e podcast Coronavírus, Saúde Emocional

Cuidados com a pele das crianças no sol e no... Atividade Física, Filhos e Gestação

A maternidade real, pelo olhar das mães

Relato de mulheres sobre as expectativas e a realidade da vivência com os recém-nascidos foi um dos temas do 2º Amamentar Talks

16 de agosto de 2021

Verenice Raquel (E) e Mardi Denise (D) falaram sobre os desafios da maternidade, em bate-papo do 2º Amamentar Talks.

“Quando nasce um filho, nasce também uma mãe”. Se você já ouviu essa frase, deve imaginar que a maternidade está longe da idealização de perfeição que se encontra nas redes sociais. Afinal, não existem regras e padrões para a mulher exercer esse papel. Cada mãe é única, assim como sua relação com os pequenos. Ainda assim, é comum que, ao encarar esse desafio, muitas entrem em conflito consigo mesmas e questionem: “será que sou uma boa mãe”? 

Durante a gestação as mulheres costumam idealizar cenários perfeitos e criam inúmeras expectativas para o nascimento e a criação dos bebês, principalmente em relação a amamentação. Uma conjectura bem diferente da realidade, conforme conta Mardi Denise Rohr, mamãe que participou do bate-papo do 2º Amamentar Talks da Unimed VTRP. 

“Sempre tive a impressão que o amamentar é muito instintivo, mas não é. A família inteira aprende com esse momento. A gente vem com a ideia de que é só colocar o bebê no peito e ele vai sair mamando, então não me preparei muito nesse sentido. Me preparei mais para o momento do parto, a escolha de como fazê-lo”. 

De acordo com a enfermeira obstetra da Unimed VTRP,  Verenice Raquel Krause, o ato de amamentar não é instintivo, ele exige muita dedicação e preparo das mulheres. E isso começa já no período pré-natal, por meio de leituras, pesquisas e também questionamentos durante as consultas com o obstetra e pediatra.  

“Amamentar traz consigo a responsabilidade de a mãe ter que suprir as necessidades nutricionais do seu filho. Por isso, às vezes vem a demanda da sobrecarga emocional, que pode contribuir de forma negativa no processo de aleitamento materno”, explica a profissional. 

Para Verenice, todas as fases da gestação exigem algum tipo de estudo. É o caso do parto, momento bastante idealizado para que ocorra de forma natural, “mas é importante que a mulher se prepare para outras possibilidades e tenha uma carta na manga, pois pode ser indicado a necessidade da cesárea, conforme avaliação médica”. 

Expectativas x realidades da maternidade 

Mardi afirma que muitas expectativas são criadas no começo da gestação. Porém, conforme o bebê se desenvolve é preciso fazer adaptações a rotina. A exemplo, a mamãe conta que precisou optar pela renúncia da carreira, por um tempo.  

“Atuo como profissional autônoma e a minha prioridade, desde então, era o trabalho. Abrir mão disso foi desafiador. Depois do sétimo mês inicia uma limitação física por causa da barriga, e aí fui me dando conta que após o nascimento eu teria que abrir mão”. 

Outro ponto impactante na vida de Mardi foi a vulnerabilidade física e psicológica. Antes do pequeno Arthur nascer, os profissionais que a acompanhavam explicaram sobre a existência da tristeza materna e o Baby Blues, alterações que de fato se fizeram presentes no dia a dia. 

“Você não sabe de onde vem esse sentimento, mas é preciso entendê-lo e fazer uso da rede de apoio. Quando aconteceu comigo eu sabia que era isso, apesar das dificuldades para lidar. Ter esse tipo de conhecimento, para mim, foi fundamental”, salienta.  

Para encarar a realidade da maternidade, a enfermeira destaca a importância de organizar uma rotina familiar e ter a rede de apoio nos momentos necessários. “Essa rede não inclui somente profissionais da saúde, mas também familiares, mãe, sogra, o próprio companheiro”, explica. 

O segredo para uma boa maternidade é entender que não há regras, nem padrões e que as mulheres precisam estar abertas as possibilidades. Nem todos os momentos saem como o planejado, mas isso não torna a maternidade menos mágica, um período de encantamento e amor incondicional. 

Assista o bate-papo completo sobre os Desafios da Maternidade
(minuto 26:21)

Amamentar Talks 

O segundo Amamentar Talks ocorreu no dia 05 de agosto, com transmissão ao vivo no Youtube da Cooperativa. O evento gratuito reuniu especialistas para dar orientações e dicas práticas sobre o aleitamento materno.  

O Amamentar Talks é uma das iniciativas da Unimed VTRP em alusão ao Agosto Dourado e a Semana Mundial do Aleitamento Materno, datas que visam a conscientização sobre a importância da amamentação.  

Neste ano, o tema do bate-papo online foi “Os caminhos da maternidade real” e contou com a participação de mamães e papais para relatar os verdadeiros desafios da chegada do bebê. 

Categoria: Filhos e Gestação