Ouvidoria   

5 receitas de lanches rápidos e fáceis para... Alimentação Saudável, Coronavírus, Filhos e Gestação, Saúde do Homem e da Mulher

Preparamos dicas de séries, músicas e podcast Coronavírus, Saúde Emocional

Cuidados com a pele das crianças no sol e no... Atividade Física, Filhos e Gestação

Vacina contra a Gripe x vacina contra a Covid-19: perguntas e respostas para você seguir se protegendo

Fique ligado nas datas, e quando chegar a sua vez, imunize-se em seu município

14 de janeiro de 2022

Neste ano, novamente a vacinação contra a gripe acontecerá ao mesmo tempo da vacinação contra a Covid-19. Ambas as campanhas pretendem imunizar a população para que não peguem ou tenham efeitos diminuídos caso peguem alguma destas doenças.

Se você não fez a vacina contra a gripe em 2021, procure a unidade de saúde mais próxima da sua casa e pergunte sobre como proceder. Em função do grande número de casos de gripe no início deste ano, a maioria dos municípios retomou a vacinação contra a influenza, para proteger mais a população.

Importante: a vacina da gripe NÃO protege contra a Covid, mas ajuda a evitar a sobrecarregar o sistema de saúde. Então, quando chegar a sua vez, vacine-se contra a Covid e vacine-se contra a gripe!

Como estamos vivendo um aumento no número de casos de ambas as doenças, preparamos este conteúdo, com perguntas e respostas sobre o tema. Confira, informe-se e VACINE-SE!

Covid-19 x Gripe

1 – Qual vacina tomar primeiro?

A da Covid-19. Ela é a doença mais grave, por isso deve ser priorizada. Em função da ausência de estudos sobre a coadministração das vacinas da gripe e da Covid-19, o Ministério da Saúde recomenda que a prioridade seja a vacinação contra a Covid-19.

“Para pessoas que fazem parte do grupo prioritário da vacinação contra influenza e que ainda não foram vacinadas contra a Covid-19 devem ser priorizadas as doses contra a Covid-19 e agendada a vacina contra a Influenza, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre elas”, orienta o Ministério da Saúde na nota informativa sobre a vacinação contra a gripe.

2 – Posso tomar as duas vacinas ao mesmo tempo?

Isto não é recomendado pelo Ministério da Saúde e pela Sociedade Brasileira de Imunizações. Faltam estudos que comprovem a segurança e a eficácia das vacinas contra Covid-19 nessas situações, bem como para facilitar o monitoramento de eventos adversos pós-vacinação.

O Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, no entanto, ressalta que a contraindicação não é absoluta. Em situações emergenciais o intervalo mínimo preconizado (14 dias antes e depois) pode ser desconsiderado. Mas estes casos devem sem avaliados com o seu médico.

3 – Já tive Covid-19, posso tomar a vacina da gripe?

Sim, deve! A recomendação é que a vacinação seja adiada nas pessoas que tiverem sintomas suspeitos de Covid-19, como febre, tosse seca e falta de ar. Neste caso, conforme o Ministério da Saúde, deve-se aguardar pelo menos quatro semanas após os primeiros sintomas de Covid.

4 – Estou com Covid-19, posso tomar a vacina da gripe?

Sim, desde que não esteja com febre. Lembre-se de que, quando estiver com a doença, você deve respeitar o isolamento mínimo de 5, 7 ou 10 dias.

5 – Por que é importante tomar as duas vacinas?

Tanto a Covid-19 quanto a gripe são doenças respiratórias. A Covid-19 pelo vírus Sars-Cov-2 e a gripe pelo vírus da Influenza. O problema é que ambas são transmitidas por contato respiratório e, no início, podem ter quadros muitos parecidos.

Por isso, se vacinar contra a Covid-19 e contra a gripe quando chegar a sua vez é um ato de cidadania, que a ajuda a desafogar o sistema de saúde.

6 – Grávidas podem tomar as duas vacinas?

Sim! Grávidas e puérperas devem tomar a vacina contra a Covid-19 e a vacina contra a gripe. O ideal, é conversar com o seu médico de confiança e seguir os intervalos preconizados para cada fabricante.

7 – Como funciona a vacinação para gripe nas crianças?

Para crianças que estiverem recebendo a vacina contra a gripe pela primeira vez, devem ser aplicadas duas doses, com intervalo mínimo de 4 semanas entre elas.

8 – Por que é importante a vacina da gripe mesmo durante uma pandemia de Covid-19?

A gripe é uma doença sazonal. Ela tem o pico de incidência nos meses frios. É endêmica. Ela começa no inverno, nos hemisférios Norte e Sul. A gripe influenza tem alta letalidade em idosos, crianças e gestantes. Por isso a importância desses grupos de tomarem a vacina, porque é uma doença de transmissão respiratória também.

9 – A vacina da gripe oferece algum tipo de risco?

A vacina da gripe é feita com fragmentos das espículas (partes) do vírus Influenza. Não existe a partícula viral. Então, não há risco algum.

10 – Há alguma contraindicação para a vacinação contra a gripe?

Só há uma contraindicação: a vacina da gripe é cultivada em ovos, no Instituto Butantã. Então, pessoas com alergia a componentes de ovos – o que é muito raro – não devem tomar essa vacina. De resto, não há qualquer contraindicação. Gestantes e crianças acima de seis meses podem tomar essa vacina.

11 – Quem está gripado ou com febre pode tomar a vacina da gripe?

A maioria das pessoas fica resfriada, com coriza. A gripe é uma doença grave, as pessoas ficam acamadas. Essas pessoas não devem tomar a vacina. Devem esperar 15 dias para tomar a vacina, se tiver certeza que seja gripe. Resfriado ou febre baixa não são contraindicações para a vacina da gripe.

12 – Quem tomou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 e esqueceu de tomar a segunda dose, o que deve fazer?

O ideal é tomar a segunda dose e depois a terceira dose. Quem perdeu o prazo e esqueceu de tomar alguma dose pode procurar os postos de vacinação e tomar a vacina em qualquer momento. As doses reforço ajudam a aumentar os anticorpos, defesas do nosso corpo.

13 – Quem tomou as duas doses da vacina contra a covid-19 está livre de ser contaminado?

Não. Quem tomou as duas doses não está invulnerável, e deve seguir com as medidas de proteção como uso de máscara e lavagem constante das mãos. Temos variantes virais e outras situações que são levadas em conta.

Fontes consultadas: Ministério da Saúde, Secretaria de Saúde do Estado do RS, Sociedade Brasileira de Imunologia