Amamentar Talk: Participe do evento online e... Coronavírus, Filhos e Gestação

PCR ou teste rápido: qual a melhor alternativa... #CuidarDeVocê, Coronavírus

Afinal, por que temos alergias? Alimentação Saudável, Coronavírus

O que é verdade e o que é MENTIRA sobre o Covid-19 na região?

Preparamos uma lista. Leia e compartilhe com seus amigos e familiares! O momento é de alerta, mas com cada um fazendo a sua parte, podemos superar.

20 de março de 2020

É tanto áudio de Whatsapp de pessoas dizendo que tem “informações privilegiadas”, outros montando cenários caóticos… Com o avanço da epidemia do Coronavírus nos vales do Taquari, Rio Pardo e Região do Jacuí, essas mensagens aparecem em maior número e frequência. Mas, o que é verdade, e o que é mentira?

Preparamos uma lista. Leia e compartilhe com seus amigos e familiares! O momento é de alerta, mas com cada um fazendo a sua parte, podemos superar!

Vamos ver o que é verdade e o que é mentira?

Aúdio de médico de SANTA CRUZ que acompanha o Coronavírus em estudos na Ufpel”. FALSO!

O aúdio que circula pela região, onde um médico que está acompanhando o Covid-19 na Ufpel NÃO É de um médico de Santa Cruz do Sul. A mensagem começou a circular com mais força a partir dessa quinta-feira. E o que é importante filtrar deste áudio? Os cuidados redobrados, pois sabemos que a doença é séria, e quem puder ficar em casa, deve mesmo fazer isto.

Áudio de colaboradora da Unimed VTRP falando sobre a doença. FALSO!

A mensagem de uma pessoa falando sobre a situação da doença na região NÃO É de uma colaboradora da Unimed VTRP, operadora de planos de saúde que atua nos vales do Taquari, Rio Pardo e Região do Jacuí. Quem acompanha as rádios e jornais dos vales sabe que diariamente os veículos de comunicação divulgam as informações que chegam do Ministério da Saúde, da Secretaria Estadual de Saúde, das secretarias municpais de saúde. A maioria dos municípios tem comitês de crise, e isso é fundamental para que as ações sejam coordenadas e definidas entre diversas frentes.

A Unimed VTRP não utiliza áudios aleatórios, publicados em grupos de Whatsapp ou em quaisquer outras mídias sociais, sem contextualização, para informar a população. Nós sempre utlizamos nossos canais oficiais Facebook (https://www.facebook.com/unimedvtrp/), Instagram (https://www.instagram.com/unimed_vtrp) e Youtube (https://www.youtube.com/user/UnimedVTRP). para compartilhar nossos comunicados e dicas de saúde e de mudança de hábitos. Não caia em Fake News! E siga-nos em nossos canais oficiais para ficar sempre bem informado.

“Água quente mata o vírus”. (FALSO)

Essa é uma mensagem que é amplamente compartilhada nas redes e traz uma orientação supostamente dada por um profissional da saúde sobre beber água quente (entre 26ºC e 27ºC) para matar o Covid-19. O Ministério da Saúde lembra que a temperatura do corpo é de ao menos 36ºC, portanto, ingerir líquidos nas temperaturas sugeridas não faria qualquer diferença. Enfatiza, no entanto, que não há medicamento, substância, vitamina ou alimento específico capaz de evitar o contágio, até o momento. Existes estudos sobre algumas substâncias que podem ajudar, mas tudo ainda muito inicial.

“Coronavírus veio dos inseticidas”. (FALSO)

Circula na internet uma imagem que mostra o rótulo de um inseticida, no qual se lê “human coronavírus”. Muito que bem, as imagens são falsas. Ainda não há consenso na comunidade científica sobre a origem do novo coronavírus. No entanto, as formas de transmissão e contaminação, explica o Ministério da Saúde, são por meio do contato com secreções ou pelo ar.

“Ao estourar plástico bolha, lembre que o ar vem da China”. (FALSO)

Um boato que está fazendo suceso nas correntes de WhatsApp no Brasil é o que diz que o ar do plástico bolha que envolve produtos importados da China pode estar contaminado pelo novo coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, não há qualquer evidência sugerindo a veracidade dessa informação. “Vírus geralmente não sobrevivem muito tempo fora do corpo de outros seres vivos, e o tempo de tráfego destes produtos costuma ser de muitos dias”, lembrou a entidade.

“Vacina contra o Covid-19 foi descoberta”. (FALSO)

A grande dificuldade dos cientistas em encontrar uma vacina contra a doença está no fato de que o vírus está em constante mutação. No entanto, tentativas continuam sendo feitas. Nesse contexto, nesta terça-feira, 17, um jornal chinês anunciou que o país asiático deu aval a pesquisadores para que iniciem testes de segurança em humanos de uma vacina experimental. Por enquanto, é só mais um teste.

“Desinfetantes antibactericidas não têm eficácia contra a doença” (FALSO)
Nos Estados Unidos, país que já registra quase 5 mil casos confirmados do novo coronavírus, um boato que está circulando com força é o de que desinfetantes antibactericidas para as mãos não teriam eficácia contra a doença. De acordo com a revista americana Newsweek, essa fake news começou a se espalhar no início de março, via Twitter, e não tem qualquer fundamento: segundo o Centro de Controle de Doenças do país, é perfeitamente possível usar o item para higienizar as mãos quando não há água e sabão disponíveis.

“Urina e estrume de vaca pode curar o novo coronavírus”. (FALSO)

Na Índia, uma política do partido governista Bharatiya Janata (o mesmo do primeiro—ministro Narendra Modi) disse à imprensa que as pessoas poderiam usar urina e estrume de vaca para curar o novo coronavírus. Vale lembrar que a vaca é considerada sagrada no país e que o uso da urina deste animal em situações terapêuticas é comum. Nesta sexta-feira, 12, informou a agência Reuters, um grupo religioso irá até realizar uma festa para o consumo do líquido, apesar dos alertas de profissionais da saúde quanto a sua eficácia contra o novo coronavírus e os riscos que a ingestão pode trazer.

“Ingestão de álcool ajuda a combater o vírus”. (FALSO)

No Irã, um dos países mais fechados do mundo e onde o consumo de bebidas alcóolicas é proibido, circulou o boato de que a ingestão de álcool poderia combater o vírus. Como resultado, 40 pessoas morreram por complicações decorrentes da ingestão de álcool puro do tipo usado na limpeza ou bebidas contrabandeadas.

“Vacina desenvolvida na Austrália está à venda na Suíça”. (FALSO)

A Itália é um dos países mais afetados pela epidemia do novo coronavírus. Hoje, é o segundo maior em número de casos confirmados, atrás apenas da China. Não à toa, o país inteiro está em quarentena. Por lá, a desinformação também anda em alta. Um dos boatos mais populares diz respeito à uma vacina, que teria sido desenvolvida na Austrália, e que poderia ser usada no combate ao vírus.

Ainda de acordo com a história, a vacina só poderia ser encontrada na Suíça. Essa mentira circulou especialmente em Veneza, em um folheto distribuído nas ruas da cidade. Nele, havia um endereço de e-mail e instruções para o depósito de 50 euros para a aquisição da vacina. A história é boa e, evidentemente, trouxe esperanças para muitas pessoas, mas é falsa.

“Cocaína protege contra o vírus”. (FALSO)

Se na Índia, o boato falava sobre o consumo de urina de vaca, na França, diz respeito ao uso de uma droga, a cocaína. E essa imagem Na semana passada, o governo francês precisou fazer um post em suas contas oficiais nas redes sociais para desmentir a história. “Não, a cocaína não te protege contra a COVID-19. É uma droga viciante, que causa efeitos colaterais sérios e é prejudicial à saúde das pessoas”, dizia a mensagem oficial.

“Prender a respiração por 10 segundos indica se a pessoa tem a doença” (FALSO)

No Brasil, a desinformação também está circulando com força total. Um dos boatos fala sobre uma espécie de teste caseiro, que revelaria se a pessoa foi contaminada pela doença: respirar fundo, prender a respiração por mais de 10 segundos. Se conseguir fazer isso sem tossir, você não está infectado. A questão é séria e fez com que o Ministério da Saúde montasse uma página dedicada ao monitoramento dessas histórias e a checagem dos fatos.

Categoria: Coronavírus