Veja a programação da Casa Unimed na 35ª...

X Simpósio de Medicina da Unimed VTRP liga Vale...

Unimed VTRP estimula a mudança de hábitos com...

A Organização do Trabalho V

Artigos escritos pelos Médicos do Trabalho da Unimed VTRP

03 de dezembro de 2008

Dando continuidade ao que nos havíamos proposto na coluna anterior:

F) O conteúdo das tarefas: O conteúdo das tarefas designa o modo como o trabalhador percebe as condições de seu trabalho: estimulante, socialmente importante, monótono ou aquém de suas capacidades.

Pode ser estimulante se envolve uma certa criatividade, se há uma variedade de atividades, se há questões a se resolver e se elas solicitam o interesse do trabalhador.

Mas é importante lembrar que nem sempre uma variedade muito grande de tarefas é necessariamente estimulante. Por exemplo, quando se requer grande memorização e aprendizado e as tarefas devem ser executadas com fortes exigências de tempo.

A maior ou menor riqueza do conteúdo das tarefas passa também pela avaliação do trabalhador e depende das suas aspirações na vida, bem como, das suas motivações para o trabalho. O conteúdo das tarefas está relacionado com o que nos textos de referência sobre DORT (Doença Ocupacional Relacionada ao Trabalho) vem na rubrica de fatores psicossociais.

Os fatores organizacionais são os aspectos objetivos da maneira pela qual o trabalho é organizado, supervisionado e efetuado. Os fatores psicossociais são as percepções subjetivas que o trabalhador tem dos fatores organizacionais. Logo, fatores organizacionais e psicossociais podem ser idênticos.

Os fatores psicossociais veiculam um valor “emocional” no trabalhador. Por exemplo, a progressão profissional pode ser percebida como estimulante e como reconhecimento ao bom desempenho das tarefas, mas pode também ser seguida de uma reação de temor quando o trabalhador não se sente perfeitamente capaz de exercer o novo cargo.

Em síntese, a análise ergonômica procura colocar em evidência os fatores que possam levar a uma sub ou sobrecarga de trabalho (física ou cognitiva) e suas conseqüentes repercussões sobre a saúde, estabelecendo quais são os pontos críticos que devem ser modificados.

Insistimos que uma análise deve levar em conta a expressão dos trabalhadores sobre suas condições de trabalho e que para transformá-las positivamente é preciso agir, quase sempre, sobre a organização do trabalho.

Caros trabalhadores e empresários, é isso por hoje!

Um bom trabalho para todos, com segurança!!!

Categoria: Unimed VTRP