Ouvidoria   

5 receitas de lanches rápidos e fáceis para... Alimentação Saudável, Coronavírus, Filhos e Gestação, Saúde do Homem e da Mulher

Preparamos dicas de séries, músicas e podcast Coronavírus, Saúde Emocional

Cuidados com a pele das crianças no sol e no... Atividade Física, Filhos e Gestação

Falta de prevenção torna homens mais vulneráveis a estas doenças

10 de novembro de 2021

Você sabia que, em função de seu comportamento menos preventivo, os homens são mais vulneráveis a muitas doenças do que as mulheres? É um alerta que o que Ministério da Saúde faz.

Isso acontece pois os homens menos acessam os serviços de saúde, buscando mais atendimento em casos de urgência e emergência. Na prática, muitos só buscam ajuda médica mesmo quando a situação é mais grave, enquanto que as mulheres têm o hábito de acompanhar a saúde mais de perto.

No novembro, falamos bastante do câncer de próstata. Como ele é uma doença silenciosa, que exige uma rotina de prevenção, esse comportamento masculino torna-se extremamente arriscado. A prevenção a este tipo de câncer inclui consulta regular ao médico (feita anualmente, a partir dos 40 anos) e hábitos saudáveis.

O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais mata homens. Por isso, homem, assuma o controle sobre a sua saúde e previna-se desta doença.

Mas, existem outras doenças sérias que geram um grande risco aos homens. Em especial, três delas:

Câncer de bexiga

O câncer de bexiga ocupa o quarto lugar nos casos de câncer em homens, correspondente a 10% dos casos. Ou seja, é um tipo de câncer bem frequente e acomete principalmente as pessoas brancas.

É mais comum em homens do que em mulheres e está ligado a fatores genéticos. Porém, o risco aumenta com a exposição a compostos químicos de diversos tipos de indústrias e infecções urinárias frequentes.

O sangue na urina acompanhado de dor ao urinar são os principais sinais. Dor na lombar é um sintoma menos comum, mas pode acontecer.

É possível evitar o câncer de bexiga sendo não fumante (ativa e passivamente) e não se expondo constantemente a derivados do petróleo, como as tintas, por exemplo.

Câncer de testículo

O câncer de testículo, diferentemente do de próstata e de pênis, costuma aparecer em idades entre 15 e 50 anos. Acomete cerca de 5% dos homens com algum tipo de câncer.

Histórico familiar, infertilidade, e criptorquidia (quando um ou os dois testículos não descem para a bolsa escrotal) são alguns dos fatores de risco. Entre os sintomas, estão o aparecimento de nódulo duro (geralmente indolor), aumento ou diminuição nos testículos, dor na parte baixa do abdômen e sangue na urina.

O que pode ser feito para prevenir o câncer de testículo é manter as consultas ao urologista em dia. A partir dos sinais da doença, o médico fará a avaliação e o diagnóstico.

Câncer de pênis

O câncer de pênis é um dos mais raros e apresenta medidas mais simples de prevenção, mas isso não significa que deve ser negligenciado.

Entre as causas do câncer de pênis estão a má higiene íntima (que geralmente está atrelada a baixas condições socioeconômicas e de instrução), infecção pelo vírus HPV e a não submissão à circuncisão, quando necessária.

A cirurgia de fimose na infância é um fator de prevenção ao câncer de pênis, assim como a limpeza diária e correta com água e sabão. O uso de preservativo durante as relações sexuais e a higiene após estas relações e após a masturbação também é fundamental.

O principal sintoma é uma ferida ou úlcera persistente no local, a balanite uma inflamação da glande – “cabeça” do pênis – associada a uma infecção, acompanhada de secreção branca. A presença de gânglios na virilha pode ser um sinal de evolução do câncer.

A lição que fica é: prevenção e autocuidado são fundamentais. Depois de ler tudo isso, que tal marcar uma consulta com o seu médico de confiança para fazer uma revisão?