Saiba quais são as frutas da primavera Alimentação Saudável

Como armazenar o leite materno? Alimente seu... Filhos e Gestação

Atividade física: leve, moderada ou intensa? Atividade Física

É possível ser mãe depois dos 40 anos

02 de fevereiro de 2015

O mundo mudou. E as mulheres também. Hoje em dia, antes da decisão de ser mãe, elas querem buscar a estabilidade profissional e financeira, além de um relacionamento estável. Diversas decisões acabam vindo antes da maternidade e, podem reduzir drasticamente as chances de engravidar com o passar dos anos. Alguns médicos afirmam que é praticamente impossível uma mulher conseguir gerar um bebê com seus próprios óvulos após os 45 anos. Porém, na chegada dos 40, muitas mulheres estão conseguindo engravidar. Algumas naturalmente, outras beneficiando-se dos avanços da medicina através de tratamentos de fertilização. Estudos recentes mostram que pode haver diversos benefícios em ter filhos mais tarde. A regra vale tanto para as mamães, quanto para os bebês. E assim como tem vantagens em uma gestação após os 40, há também as desvantagens. Os dois casos precisam ser analisados e pesados pelas futuras mamães.  

Blog Unimed VTRP Gravidez depois 40 anos 1

  As vantagens A maior é exatamente a espera para se ter filhos. A mãe pode curtir a vida sem esta preocupação, viajar, ver o mundo e, é claro, amadurecer. A segurança financeira é maior e ela, provavelmente, está em uma posição confortável na carreira. Além disso, a relação entre os pais é maior, permitindo um conhecimento mais profundo. Estudos comprovam algo que já está na imaginação de muitos: as mulheres mais velhas, de uma forma mais generalizada, têm mais sabedoria do que aquelas que possuem menos idade, bem como uma disposição maior para amamentar. Conforme pesquisas, as mamães com mais idade dão uma atenção maior na escolha dos alimentos saudáveis para seus filhos. Outra questão que favorece muito a gravidez tardia é a estabilidade financeira. Mais do que estar preparada para as despesas, mães mais velhas economizam muito mais a cada ano que passa. Com a carreira profissional estável, elas retornam ao trabalho, após a licença maternidade, de forma mais segura do que as mães mais jovens.  

Blog Unimed VTRP Gravidez depois 40 anos 2

  Alguns alertas Quase tudo que tem prós, tem contras. E com a gravidez tardia também. A primeira delas é a dificuldade para engravidar, uma vez que o número de óvulos que a mulher produz começa a reduzir aproximadamente 15 anos antes da menopausa. Além disso, esses óvulos podem apresentar defeitos, aumentando o quantidade de abortos espontâneos e malformações. Outro fator que pode ser um grande obstáculo para mães com idade acima dos 40, são as possíveis complicações na gravidez. A partir desta idade, as grávidas possuem risco de desenvolver a diabetes gestacional ou mesmo sofrer de pressão alta durante os nove meses. Há também o risco de problemas com a placenta ou mesmo na hora do parto. Mamães mais velhas possuem uma probabilidade grande de ter seus filhos com baixo peso ou mesmo de forma prematura, assim como a taxa de natimortos é elevada. Além disso, essas crianças tem chances de desenvolver diabetes tipo 1 ou hipertensão. O pai tem papel importante, uma vez que a qualidade dos espermatozoides também cai com o passar dos anos.  

Blog Unimed VTRP Gravidez depois 40 anos 3

  Um motivo para se animar Embora as desvantagens ao engravidar com mais idade sejam desanimadoras, vale ressaltar que muitas mulheres engravidam depois dos 40 e têm suas gestações de forma tranquila, gerando bebês saudáveis. Conforme os avanços da ciência, estamos vivendo um dos melhores momentos para aquelas que desejam ter filhos com mais idade. As notícias animadoras são graças a variedade de tecnologias e métodos de fertilização assistida. Uma vez que as chances diminuem a partir dos 35 anos com a inseminação artificial, a probabilidade de engravidar com óvulos doados continua alta, apresentando uma taxa de mais de 50% dos partos com bebês saudáveis. Independente da escolha da idade, é fundamental um acompanhamento com um médico ginecologista. Ele é capaz de orientar a futura gestante na sua escolha. Também é recomendado que o futuro papai faça exames periódicos com especialistas, a fim de verificar a qualidade dos seus espermatozoides.  

Categoria: #CuidarDeVocê