Ouvidoria

5 receitas de lanches rápidos e fáceis para... Alimentação Saudável, Coronavírus, Filhos e Gestação, Saúde do Homem e da Mulher

Preparamos dicas de séries, músicas e podcast Coronavírus, Saúde Emocional

Cuidados com a pele das crianças no sol e no... Atividade Física, Filhos e Gestação

É normal ter esquecimentos durante a gestação? Descubra!

Menor concentração e perdas de memória são queixas comuns entre gestantes. Mas, existe mesmo essa relação?

08 de junho de 2021

Durante a gestação, os hormônios são responsáveis por uma série de mudanças no corpo e também impactam o lado emocional das mulheres. Não é novidade para ninguém: na gravidez, as mamães ficam mais emotivas e sensíveis. Muitas relatam situações frequentes de esquecimentos. Mas, existe mesmo essa relação?

Sim, esquecimentos acontecem com frequência, e são, via de regra, normais durante a gestação!

Sem a ajuda de um bloco de anotações ou do celular para fazer seus registros, muita coisa pode passar batido, sem contar aqueles casos corriqueiros de não lembrar onde foram deixados objetos do dia a dia.

Ilustração de uma mulher grávida pensando em várias atividades

O esquecimento na gravidez tem algumas explicações. Por meio da análise de ressonâncias magnéticas realizadas em mulheres antes, durante e até dois anos após a gestação, uma pesquisa feita pela Universidade Autônoma de Barcelona, da Espanha, em parceria com a Universidade Leiden, da Holanda, indica que nessa fase tão importante na vida da mulher ocorre uma redução em áreas do cérebro responsáveis pelas interações sociais.

Segundo o estudo, isso acontece para auxiliar a mãe a criar laços com o bebê e se preparar para as demandas da maternidade.

A pesquisa apontou ainda que todas as mulheres são afetadas da mesma forma, não havendo qualquer relação com o fato de a gravidez ter ocorrido naturalmente ou ter acontecido por meio de fertilização in vitro.

Os hormônios por trás da falta de memória

Semelhante às mudanças estruturais que acontecem no cérebro durante a adolescência, essa alteração na gestação, que afeta algumas funções do cérebro, principalmente com a área relacionada à atenção, pode estar relacionada ao aumento da taxa de progesterona.

Trata-se de uma situação recorrente na gravidez e que não requer nenhum cuidado específico, já que é revertida naturalmente após o nascimento do bebê, com a diminuição da progesterona.

Ilustração indicando ocitocina e progesterona no corpo de uma mulher

Esse não é o único hormônio que merece levar a “culpa” pelas distrações e falta de memória. A ocitocina também tem o seu papel em todo esse processo. Ela é responsável pelo aumento da ativação em áreas motivacionais do cérebro, respondendo ao estímulo do contato da mãe com o filho.

Já na reta final da gestação e também nos primeiros dias da lactação, há o aumento dos receptores de ocitocina em várias áreas do cérebro, mais uma justificativa para os esquecimentos.

Mas nem tudo pode ser atribuído aos hormônios. Muitos obstetras e neurologistas explicam às pacientes que essa mudança de foco também pode estar associada à ansiedade para a chegada do bebê, e ainda à privação do sono, já que, especialmente na reta final da gravidez, é difícil encontrar uma posição confortável e ter uma boa noite de sono, e até mesmo ao estresse decorrente da avalanche de mudanças na vida.

É claro, vale lembrar que cada gravidez é única, e as transformações podem variar de pessoa para pessoa. Em caso de dúvida, procure sempre o seu médico e equipe de confiança, combinado? Eles é que podem lhe ajudar a entender a sua gestação e as mudanças em seu corpo e em sua vida a partir de agora 😉