Ouvidoria

5 receitas de lanches rápidos e fáceis para... Alimentação Saudável, Coronavírus, Filhos e Gestação, Saúde do Homem e da Mulher

Preparamos dicas de séries, músicas e podcast Coronavírus, Saúde Emocional

Cuidados com a pele das crianças no sol e no... Atividade Física, Filhos e Gestação

Dengue: faça a sua parte e evite a propagação do mosquito em nossa região

Essas doenças infecciosas transmitidas por insetos são chamadas de arboviroses, e todo o cuidado é pouco na época do verão. Previna-se!

06 de abril de 2021

O mosquito Aedes aegypti é o transmissor de dengue, zika, chikungunya e febre amarela (ciclo urbano). Essas doenças infecciosas transmitidas por insetos são chamadas de arboviroses. Neste ano, a dengue tem voltado com força em alguns municípios da nossa região.

Por isso, é hora de todos se mobilizarem para afastar esta ameaça. E o melhor caminho para chegar lá, é com informação.

Menor do que os mosquitos comuns, o Aedes aegypti é preto com listras brancas no tronco, na cabeça e nas pernas. Suas asas são translúcidas e o ruído que produz é praticamente inaudível ao ser humano.

Ele põe seus ovos em recipientes como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos sob vasos de plantas ou qualquer outro objeto que possa armazenar água limpa, como a da chuva, por exemplo, e pode procurar ainda criadouros naturais, como bromélias, bambus e buracos em árvores.

É um mosquito urbano, embora tenha sido encontrado na zona rural, onde foram levados em recipientes que continham ovos e larvas. Comuns em regiões de clima tropical e subtropical.

Devido a essas características do mosquito, o controle dessas doenças é um desafio de saúde pública. Por isso, todos temos que contribuir para evitar a reprodução do Aedes aegypti.

Identificando a Dengue

Os principais sintomas são febre alta, dor de cabeça, dores no corpo e articulações, fraqueza, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele, às vezes com coceira. Pode haver ainda perda de peso e vômito e, na forma grave, dor abdominal e sangramento de mucosas.

A transmissão se dá principalmente pela picada do mosquito Aedes aegypti, mas há registros de transmissão vertical (gestante-bebê) e por transfusão de sangue.

Prevenção

A melhor maneira de prevenir arboviroses é evitar as condições propícias à proliferação dos insetos transmissores, ou seja, ambientes com água parada, onde os ovos do mosquito são depositados.

  • Mantenha tonéis e caixas d’água bem fechados
  • Não deixe acumular água em calhas e lajes
  • Encha os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda
  • Feche bem os sacos de lixo e não deixe-os ao alcance de animais
  • Mantenha garrafas e outros recipientes que podem acumular água virados para baixo
  • Não acondicione pneus em locais descobertos
  • Faça manutenção regular nas piscinas
  • Se utilizar lonas para cobrir algo, certifique-se de ficarem bem esticadas para não acumular água
  • Lave e esfregue os potes de água dos animais de estimação
  • Limpe a bandeja do ar-condicionado para evitar o acúmulo de água
  • Mantenha ralos limpos e tampados, ou com tela
  • Verifique e mantenha fechados vasos sanitários pouco usados ou sem uso

Cuidados pessoais

O risco de infecção por dengue, zika e chikungunya e febre amarela é reduzido se as picadas puderem ser evitadas. Portanto:

  • Use repelente e não se esqueça de reaplicar conforme as orientações do fabricante
  • Coloque telas em portas e janelas
  • Utilize roupas claras e compridas sempre que possível, principalmente quando visitar áreas com maior presença de mosquitos
  • Evite, se possível, viajar para áreas com maior incidência dessas doenças em períodos de possíveis epidemias
  • Em casos de sintomas, procure um médico
  • Denuncie focos do mosquito à Secretaria de Saúde da sua cidade

Gestantes e puérperas: atenção redobrada

  • Faça o pré-natal corretamente
  • Realize todos os exames recomendados pelo médico, antes e depois do parto
  • Utilize roupas claras e compridas sempre que possível, principalmente quando visitar áreas com maior presença de mosquitos
  • Aplique repelentes indicados para gestantes, principalmente se estiver vestindo roupas que deixem áreas do corpo expostas
  • Se possível, evite viajar para regiões mais afetadas pelos vírus
  • Procure ficar em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis

Fique informado

  • Não há medicamento que cure a dengue. Os sintomas é que são tratados
  • Os ovos do Aedes aegypti podem sobreviver por até um ano em ambientes secos. Por isso, não adianta apenas secar os reservatórios de água parada. É preciso limpá-los com água e sabão
  • O verão favorece a reprodução do Aedes aegypti, porém, os cuidados devem ocorrer no ano todo. No outono e no inverno, é necessário eliminar os criadouros para impedir que as larvas nasçam quando voltarem as chuvas e as altas temperaturas

Fonte: Ministério da Saúde, Ministério do Meio Ambiente, Agência Nacional de Saúde e Fundação Oswaldo Cruz