Ouvidoria

5 receitas de lanches rápidos e fáceis para... Alimentação Saudável, Coronavírus, Filhos e Gestação, Saúde do Homem e da Mulher

Preparamos dicas de séries, músicas e podcast Coronavírus, Saúde Emocional

Cuidados com a pele das crianças no sol e no... Atividade Física, Filhos e Gestação

Cuidados para o envelhecimento saudável

Adaptações em rotinas e nos lares ajudam a evitar acidentes domésticos, proporcionam maior independência e melhoram a saúde dos idosos

03 de setembro de 2021

O envelhecimento é um ciclo natural a todas as pessoas, podendo ser um evento gradativo para uns e mais rápido a outros. Ainda assim, em todos os casos é possível observar no organismo mudanças características do avanço da idade, como a redução da massa muscular e óssea, fatores que aumentam a incidência de queda dos idosos. Por isso, para evitar acidentes, é importante investir numa rotina de exercícios e fazer adaptações nos lares. 

De acordo com a médica geriatra, Mariana Tocchetto Pritsch, os acidentes domésticos são comuns à terceira idade. E entre as principais causas, estão os fatores ambientais, a perda de equilíbrio, a fraqueza muscular, as tonturas e a hipotensão postural, ou seja, a queda da pressão arterial. 

“Os idosos também apresentam alterações fisiológicas da marcha, têm passos mais curtos, pés rodados para fora e perda do balanço normal dos braços”, explica a geriatra, que destaca o sexo feminino como o perfil mais propenso a sofrer com as quedas. 

Diante disso, uma das maiores recomendações é que as pessoas invistam em exercícios de fortalecimento muscular (como fisioterapia, pilates e musculação), equilíbrio e treinamento de marcha. Mas atentar a mobília e decoração da casa também pode ser uma ótima alternativa para facilitar a locomoção e garantir mais autonomia e funcionalidade aos mais velhos. 

Mariana explica que pequenas adaptações nos ambientes são importantes, pois uma simples queda pode resultar em consequências graves ou mesmo levar ao óbito do idoso.  

“Cerca de 40% deles têm dor contínua ou restrição de atividades após dois meses da queda, o que gera imobilidade. Há ainda aqueles que apresentam danos psicológicos e sociais, como medo de cair, insegurança, necessidade de superproteção dos familiares, dependência, inatividade, isolamento social e depressão”. 

Casa segura 

Diferente do que muitos imaginam, adaptar a casa não significa apenas instalar barras de apoio no banheiro e corrimãos na escada. Um ambiente seguro, segundo a geriatra, é aquele que: 

  • Está bem iluminado 
  • Tem uma boa disposição dos móveis 
  • Não possui tapetes 
  • Possui os objetos mais utilizados em prateleiras baixas 
  • Tem fácil acesso aos telefones 
  • Permite a autonomia dos moradores 

“Casa segura é um conceito de moradia que oferece aos idosos um ambiente adequado, seguro e confortável, que lhes dê independência, uma vida de qualidade e dignidade”, destaca Mariana. 

Reabilitação durante o envelhecimento 

Em caso de quedas é importante que o idoso e seus familiares ou cuidadores tenham em mente que o processo de recuperação é sutil e gradativo. Além disso, a idade avançada representa uma redução da capacidade física que, consequentemente, contribui para o aumento da atrofia muscular e imobilidade. 

Quando há imobilização da pessoa, é importante que sejam realizados exercícios ativos e passivos ainda no leito. “Em grande parte, a reabilitação do idoso depende de sua motivação, de alterações neuro-comportamentais, inclusive de memória ou de humor pré-existentes, bem como das dificuldades psicológicas que por ventura o idoso apresente”.  


CLIQUE AQUI e confira nossa cartilha de cuidados para evitar acidentes domésticos com idosos 🙂