Ouvidoria

Sou um desastre na cozinha… Por onde eu... Alimentação Saudável, Coronavírus

Alimentos que fortalecem a imunidade: você vai... Alimentação Saudável, Coronavírus, Outubro Rosa

Seu filho não quer comer? Como lidar? Alimentação Saudável, Coronavírus, Filhos e Gestação

Câncer de pele: dicas para a prevenção e o diagnóstico

06 de novembro de 2013

Blog Unimed Cuidados Verão Câncer de Pele A pele é o maior órgão do corpo, responsável pela troca de calor e água com o ambiente, encarregado de proteger os órgãos internos contra bactérias e de captar e enviar para o cérebro informações sobre calor, frio, dor e tato. Câncer de pele é o crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Estas células se dispõem formando camadas e, dependendo da camada afetada, temos os diferentes tipos de câncer. É importante prestar atenção em manchas ou feridas que não cicatrizam, que continuam a crescer apresentam “coceira”, sangramento ou dor. Ao observar alguma alteração na pele é sempre bom procurar um dermatologista ou até mesmo um oncologista. Além de ter os cuidados necessários para evitar as doenças típicas do verão, é preciso criar a consciência de que a exposição excessiva ao sol sem a devida proteção causa o câncer de pele. Segundo estatísticas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de pele é o que registra maior incidência no Brasil e está diretamente relacionado à exposição ao sol. A pele exposta ao sol não se recupera. Apesar do número de casos, o câncer de pele pode ser prevenido e tratado precocemente.   Sintomas A lesão maligna de pele geralmente é rósea, avermelhada ou escura, e apresenta crescimento lento, mas progressivo. Também pode ter o aspecto de ferida que não cicatriza, ou de pintas que crescem devagar, mas que coçam, sangram ou apresentam alterações de cor, consistência e tamanho (geralmente maior que 6 mm). Outras características importantes dessas lesões são a assimetria e as bordas irregulares. Como os cânceres de pele podem apresentar características diversas, a pessoa deve procurar um médico sempre que notar uma lesão nova ou quando uma lesão antiga sofrer algum tipo de modificação.   Diagnóstico O diagnóstico leva em conta o aspecto clínico da lesão, sua coloração e forma e o resultado da biópsia dos tecidos da própria lesão e dos que estão ao seu redor.   Tratamento O tratamento inicial consiste na retirada cirúrgica da lesão e do tecido ao redor. Quimioterapia ou radioterapia são recursos terapêuticos utilizados nos casos mais graves. O tamanho do tumor é mais importante do que o tipo no momento de diagnóstico para determinar o tratamento e o prognóstico.   Blog Unimed Cuidados Verão Câncer de Pele3   Dicas para a prevenção do câncer de pele

  • Use protetor solar diariamente, mesmo em dias nublados e chuvosos;
  • Evite a exposição excessiva ao sol, principalmente entre 10 e 15 horas. Use filtro solar com proteção adequada ao seu tipo de pele, além de chapéu e roupas para se proteger;
  • Faça um autoexame de pele regularmente e observe se há alguma mancha, lesão, ferida, sinal ou pinta nova ou que apresente alguma modificação. Não se esqueça de examinar também a palma das mãos, os vãos entre os dedos, a sola dos pés e o couro cabeludo;
  • Procure um médico dermatologista regularmente, se você tem pele muito clara, que fica vermelha facilmente quando exposta ao sol, e/ou histórico de câncer de pele na família.

  Via Espaço Vida Unimed VTRP.  

Categoria: #CuidarDeVocê