imgTopo Contato separador btnPesquisa
Saúde

Manere no fone de ouvido: música alta compromete a memória

tumblr_m44ggia2Dc1r9jre2o1_500_large

Escutar um CD inteiro da sua banda favorita no último volume pode prejudicar mais do que o ouvido. Na Universidade de Buenos Aires, na Argentina, pesquisadores submeteram ratos a sons elevados por duas horas. Ao observar a massa cinzenta das cobaias, foram constatados danos no hipocampo, região onde, digamos, nossas recordações ficam gravadas. “Todo ruído que excede certo limiar provoca estresse no cérebro. Se a exposição é prolongada, os neurônios são afetados”, adverte o neurologista Mauro Muszkat, do departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo. “Estragos irreversíveis só viriam de sons tão altos que o próprio indivíduo dificilmente os aguentaria”, contrapõe. De qualquer jeito, vale maneirar no volume para manter a cabeça intacta.


O lado positivo da música

Desde que as caixas de som não estejam quase estourando seu tímpano, ouvir canções na verdade até desenvolve o encéfalo. “Elas estimulam o trabalho das células nervosas”, destaca o neurologista Mauro Muszkat. Tocar um instrumento potencializa ainda mais esse efeito.

Dica da leitora Grace Gibb.

 

Envie o seu comentário para a Unimed VTRP




siteOficial ans
Todos os direitos reservados Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo 2018.
barraRodapeLink
Nossos Favoritos
Sobre a Unimed VTRP
Política de Comentários
Relatório de Sustentabilidade
Revista Unimed
;